(11) 3045-0292 | 3045-1978
comercial@trio.eng.br
 

Gerenciamento de resíduos na construção civil
Qual o seu impacto na obra?

Home » Notícias » Gerenciamento de resíduos na construção civil
Qual o seu impacto na obra?

O setor da construção civil é responsável por mover grande parte da economia nacional e muito do desenvolvimento social e comercial de diferentes áreas. Porém, um efeito colateral da força desse setor é a sobra de resíduos no canteiro de obra, o que torna o gerenciamento de resíduos um item fundamental.

Além de ser importante pela consciência ambiental, o gerenciamento de resíduos na construção civil fortalece a imagem da construtora diante do mercado, confirmando para todos os clientes que a empresa valoriza a e respeita meio ambiente.

Para realizar o gerenciamento de resíduos, é preciso seguir as normas e recomendações que estão presentes na Resolução 307 do CONAMA, Conselho Nacional de Meio Ambiente.

Gerenciamento de resíduos na construção civil– Qual o seu impacto

O gerenciamento é muito importante para reduzir parte dos impactos causados ao meio ambiente. O processo de construção ou de demolição gera uma grande quantidade de poluentes no ar, sem contar que a produção dos insumos e materiais são grandes causadores do efeito estufa e do aquecimento global.

Com isso em mente, evitar mais poluição é mais do que necessário. Jogar entulhos e outros resíduos em qualquer lugar não só causa um grande mal para o meio ambiente e para a paisagem urbana, mas é também uma grande falta de respeito com a sociedade.

Esses restos devem ser separados de acordo com categorias e despejados da forma correta. Apenas com o gerenciamento adequado é possível garantir um impacto ambiental menos grave.

Como é feito o gerenciamento de resíduos

Como dissemos, as recomendações para os resíduos estão na Resolução 307 do CONAMA, que se encontra em vigor desde janeiro de 2003. As normas falam sobre como os resíduos devem ser separados e como cada tipo deve ser manuseado.

Confira os tipos de resíduos na construção civil:

Classe A

Os resíduos de Classe A são os considerados recicláveis ou que estão em boas condições de uso para a mesma ou outra obra. Isso inclui blocos, tijolos, treliças, telhas, azulejo para recortes e acabamentos, entre outras coisas.

Os restos de cimento e argamassa também podem ser reciclados através de processos realizados em outros locais ou até mesmo no canteiro de obras. Esses materiais são triturados para virar britada ou pó e, depois de alguns processos, podem ser usados novamente como argamassa.

Classe B

Esses são os matérias recicláveis de forma mais ampla. Metais, plásticos, papel, vidros e madeiras podem não ser reusados na obra, mas podem ser destinados para usinas de reciclagem.

Nesses casos os materiais devem ser devidamente separados para serem coletados pela companhia de reciclagem.

Classe C

Nesta categoria entram os materiais que não podem ser reciclados, como o gesso ou pisos quebrados. Esses resíduos devem ser descartados em aterros preparados para receber entulho da construção civil. Durante o período na obra, eles devem ser armazenados separados dos resíduos classe A e B.

Outro detalhe importante é que, apesar de não recicláveis, os restos de classe C não podem ser contaminantes do meio ambiente.

Classe D

Os resíduos de classe D são aqueles que não podem ser reciclados, assim como os classe C, mas que também são prejudiciais ao meio ambiente, tanto para o solo, para o ar ou para corpos d’água. Por isso, eles devem ter armazenamento e transporte específicos de acordo com as suas propriedades.

Geralmente, as informações ligadas ao melhor armazenamento e transporte podem ser encontradas na embalagem ou em informações do fabricante. Entre esses materiais estão as tintas, solventes e outros do tipo.

Ao separar e destinar esses produtos da maneira correta, o impacto no meio ambiente é reduzido consideravelmente e a saúde dos envolvidos com a obra também corre menos riscos. Sem contar que o uso dos materiais Classe A como materiais reciclados pode gerar economia.

A Trio Engenharia sempre emprega o gerenciamento adequado de resíduos na construção civil, reforçando o seu compromisso com o meio ambiente e com o futuro do nosso planeta.